Logotipo Brasão Valle

3D Movie Animation

Oriental Místico

Gautama Buda: Quem Foi, o Que Significa, Onde Nasceu e o Que Ensinou

Buda Sidarta

Oriental Místico - Buda Sidarta

Bodhisattva

Oriental Místico - Bodhisattva

Buda e Bodhisattvas

Oriental Místico - Buda e Bodhisattvas

Buda Celestial

Oriental Místico - Buda Celestial

Roda do Dharma

Oriental Místico - Roda do Dharma

Roda do Samsara

Oriental Místico - Roda do Samsara

Yama

Oriental Místico - Ioga - Yama

Niyama

Oriental Místico - Ioga - Niyama

Asana

Oriental Místico - Ioga - Asana

Pranayama

Oriental Místico - Ioga - Pranayama

Pratyhara

Oriental Místico - Ioga - Pratyhara

Dharana

Oriental Místico - Ioga - Dharana

Dhyana

Oriental Místico - Ioga - Dhyana

Samadhi

Oriental Místico - Ioga - Samadhi

Moedas das Olimpíadas 1964

Oriental Místico - Moedas das Olimpíadas 1964

Sumô nas Olimpíadas

Oriental Místico - Sumô nas Olimpíadas

 


Meditação, Budha e Bodhisatvas

Introdução

A palavra Buda deriva do termo sânscrito "buddh" e significa vigilante, acordado ou desperto. Um Buda significa então alguém que está em estado de vigilância continuada, plenamente acordado ou desperto. Um Buda não confunde jamais a sensação de ser ou a sensação de presença com o próprio corpo.

Isto quer dizer que um Buda sabe que a morte não existe, porque tem a consciência de que seu estado desperto é indestrutível. E quando chegar a morte Ele também estará vigilante. "Morrerá" observando todo o processo e a vigilância não morrerá. Seu corpo desaparecerá, ao pó voltará, mas sua vigilância permanecerá.

Buda ensinou que a única maneira real de sair do sofrimento e atingir a imortalidade é tornar-se uma pessoa meditativa, ou seja, alerta, desperta, consciente. Somente a meditação sobre a nossa consciência ordinária da vigília ou personalidade pode nos conduzir à Superconsciência ou ao estado de Buda.

O budismo fala de que existem inumeráveis budas no universo, embora sua aparição no mundo seja rara. A lei do "muitos são chamados e poucos escolhidos" se aplica aqui.

Um buda antes de se tornar buda é um bodhisattva, ou seja, um ser que está tendo a percepção do despertar, a percepção da consciência. Existem uma infinidade de seres nesta categoria. Dentre eles Maitreya: o próximo buddha, o buddha amoroso do futuro. Outros Bodhisattvas populares são: Manjusri – o Bodhisattva da Grande Sabedoria, Avalokitesvara – o Bodhisattva da Grande Compaixão, Aria Tara – A Mãe da Compaixão, o aspecto feminino de Avalokitesvara e Vajrapani - é um dos bodhisattvas que aparecem mais cedo no budismo mahayana. Ele é o protetor e guia de Gautama Buda e se levantou para simbolizar o poder do Buda.

Após tornar-se um Buda — como Siddharta Gautama tornou-se, ainda resta um último título: Shakyamuni, que significa "O Sábio dos Sakyas". Esse foi um título pelo qual passaram a chamar Siddharta Gautama após o seu pleno despertar ou iluminação há cerca de 2500 anos na Índia.

Ouvimos dizer que Buda atingiu o ápice da sabedoria e da compaixão, mas isto parece pouco ou limitado. Um Buda atinge o máximo de tudo. A tradição fala também que um buddha é quem alcançou "anuttara-samyak-sambodhi", ou seja, a Suprema, Perfeita e Completa Iluminação. Entretanto, no nível ordinário, somos levados a estabelecer e classificar os atributos budistas em quatro categorias ou estados sublimes: 1. Amor. 2. Piedade ou Compaixão. 3. Felicidade. 4. Indiferença.

Tecnicamente, será ensinado aqui um método, que, na atual circunstância, é a única forma, rápida e eficiente, de praticar a meditação, promovendo uma correta interação entre mente, emoção e corpo, sem nenhum risco de efeitos colaterais indesejáveis.

Você terá a oportunidade de conhecer e começar a praticar a Meditação dos Quatro Estados Sublimes, nas Seis Direções do Espaço Infinito. Pela Meditação de Amor você aprenderá a dominar todo ódio e vingança. Pela Meditação de Piedade ou Compaixão você aprenderá a dominar toda crueldade e malícia. Pela Meditação de Felicidade você aprenderá a dominar todo sentimento de inveja e de desconfiança. E pela Meditação de Indiferença, você aprenderá a isolar-se de todo o mal.

Porém, lembre-se de que é somente pela dedicação que estes Estados Sublimes podem ser alcançados.

Preparação

1. Escolha uma posição que seja confortável. No início é aconselhável isolar-se em um cômodo quieto. 2. Frente para o leste.


Oriental Místico - Seis Direções do Espaço

As 6 direções do espaço

3. Feche os olhos. Permaneça assim por alguns instantes. 4. Sinta, primeiramente, todo o seu corpo. Permaneça nesta sensação por um pouco de tempo. 5. Utilize a sua imaginação: veja um feixe de luz branca, muito branca e brilhante saindo do seu coração, do centro do seu peito, em direção à sua frente, para o lado leste do mundo. Permaneça nesta visão por alguns instantes.

Dos Seres dos Três Reinos

6. Veja este feixe de luz branca e brilhante, como um canhão de luz, enorme, poderoso e além de toda medida, traspassando todos os seres, homens, mulheres, jovens, crianças, animais, vegetais, minerais, etc. Permaneça nesta visão por alguns instantes. 7. Enquanto se esforça para manter a visão, acione a sua emoção e pronuncie mentalmente, com toda a energia e com grande solenidade, em atitude inflamada de oração: "Não há nenhum ser deste lado do mundo ausente na minha reflexão, os quais eu saturo com os raios do meu amor". 8. Continue vendo os raios de amor saindo do seu coração em direção ao lado leste do mundo, traspassando todos os seres, homens, mulheres, jovens, crianças, animais, vegetais, minerais, etc. Permaneça nesta visão por mais alguns instantes.

Dos Amigos "Principais"

9. Agora, lembre-se dos seus "principais" amigos, das pessoas que você mais "ama" e que estão mais próximas de você no seu relacionamento atual. 10. Ao mesmo tempo em que conserva a visão do feixe de luz branca saindo do seu coração, em direção ao lado leste do mundo, com o auxílio da sua imaginação, coloque-os todos à sua frente, traspassando-os com os raios de luz branca da sua visão. 11. Enquanto se esforça para manter a visão, acione a sua emoção e pronuncie mentalmente, com toda a energia e com grande solenidade, em atitude inflamada de oração: "Não há nenhum ser amigo deste lado do mundo ausente na minha reflexão, os quais eu saturo com os raios do meu amor".

Dos Desconhecidos

12. Esforce- se para formar uma idéia de todos os inumeráveis seres que você desconhece ou que são indiferentes a você. 13. Repita, integralmente, os itens 10 e 11.

Dos "Inimigos"

14. Lembre-se de todos aqueles que você pensa que não gostam de você, naqueles que você considera antipáticos ou que você não gosta. 15. Repita, integralmente, os itens 10 e 11, fazendo um esforço sincero de vontade, maior do que tudo que existe, para saturar seus "inimigos" com os raios da luz branca do seu amor. 16. Agora, sem sair da sua posição, imagine os raios da luz branca do seu amor, saindo do seu coração, dirigindo-se para o seu lado direito, do lado sul. 17. Repita a mesma série de reflexões (do item 6 em diante), substituindo a palavra leste por sul. 18. Terminada a reflexão do sul, sem sair da sua posição, dirija a sua imaginação para o lado oeste, e faça o mesmo. 19. Em seguida, faça do lado norte, ou lado esquerdo. 20. Completados os quatro pontos cardeais, faça, também, para baixo (nadir) ou seja, em direção ao centro da terra. 21. E, finalmente, faça para cima (zênite), em direção ao espaço infinito. 22. Encerrada esta primeira parte da Meditação, recomece a segunda parte, sem sair da sua posição, pensando no seguinte:

Do Sofrimento

I - Pense em todos os seres sofredores, especialmente naqueles que sofrem neste momento, refletindo sobre as pessoas que estão tristes, que têm medo, solidão, enfermidade, naqueles que estão presos, arrasados ou sem perspectivas. Da mesma forma como você dirigiu na primeira parte da Meditação os raios da luz branca do seu amor para as seis direções do espaço, faça o mesmo com os raios de luz branca de sua piedade e compaixão, de forma que possa, com auxílio de sua imaginação, inundar todos os seres com raios e pensamentos de piedade e compaixão.

Da Felicidade

II - Feito isto, pense em todos os seres felizes, da mais pequenina felicidade à mais elevada possível, na felicidade daqueles que se libertaram de todos os sofrimentos e permanecem na felicidade eterna. Imagine-se junto deles, junto de todos os seres felizes, participando da alegria de seus corações. Imagine que você está convivendo com eles e que a felicidade aumenta cada vez mais. Com a sua imaginação você satura, com os raios da luz branca de sua felicidade, nas seis direções do espaço infinito, todos os seres com os quais você comunga a grande alegria.

Do Mal e da Crueldade

III - E, finalmente, pense no mal e na crueldade. Reflita nas diversas coisas que tentam e desviam as pessoas da vida simples e sagrada. A cada pensamento torne-se completamente indiferente ao seu conteúdo, considerando que todo o mal e toda crueldade existente nas pessoas e no mundo é decorrente da ignorância e que ignorância significa falta de entendimento. Pense e considere que os maus atos são o resultado da errônea canalização da energia e dos poderes. Pense e considere que não é o seu dever julgar nem condenar ninguém, apenas ser indiferente. Lance, nas seis direções do Espaço Infinito, enquanto executa a reflexão, os raios da luz branca da sua indiferença.

Da Despedida

Encerrada a sua Meditação, procure conservar na memória as sensações físicas, os sentimentos e os pensamentos dela. Isto será de grande valor para você continuar praticando até o Início da Nova Vida!

REFERÊNCIAS:

The Training of The Mind, The Equinox, Ananda Metteya, 1911.

Meditação, Enciclopédia Popular, Valle Editora, 2002.


VOLTAR AO TOPO

Botão Navegação

 

Veja + Oriental Místico em:

Padrão – Wikipédia Gautama Buddha – Wikipédia Buddha - Britanica Buddhism - History Buddha - Dicionário Cambridge Budismo – Wikipédia Budismo - Significados Os Dez Grilhões – Wikipédia Quatro Nobres Verdades – Wikipédia Roda do Samsara - Dicionário de Símbolos Budismo no Brasil – Wikipédia Biblioteca de emojis - Emojipedia Fundação Biblioteca Nacional - Escritório de Direitos Autorais


Direitos ® Reservados


Oriental Pattern

Botão Navegação

visao.art.br

IPC - Instituto Pan Cultural

CNPJ nº 54.154.497/0001-21

 

19x19-Twitter 17x19-Facebook 17x19-google 23x20-YouTube 17x19-monetize 17x19-Instagram 17x19-LinkedIn